“EIS QUE ESTOU À PORTA E BATO” (Ap 3,20)

Em unidade com o tema para 2018 apresentado pela RCC Brasil, oferecemos o presente estudo da passagem bíblica em questão. Para tanto, propomos uma contextualização a partir das cartas às 7 igrejas dos capítulos 2 e 3 de Apocalipse. Nelas encontramos direcionamentos importantes que, uma vez estudados em oração, poderão certamente dar muitos frutos a nós.

O estudo poderá ser feito diariamente, considerando um dia para cada igreja. No entanto, sintam-se livres para conduzi-lo da melhor forma.

 

 

 

1º DIA: ÉFESO (Ap 2,1-7)

A palavra éfeso significa “desejo ardente”. Como vemos, a igreja de Éfeso era muito comprometida e perseverante. Não tolerava o mal e se esforçava. No entanto, Éfeso esqueceu o essencial: abandonou o primeiro amor. Hoje, isso também pode acontecer conosco: podemos ser muito comprometidos, fazer muitas coisas e muitos serviços, mas esquecemos o amor para com o Senhor. Fazemos coisas PARA Ele, mas não ficamos COM Ele. Nos contentamos em ser servos e esquecemos de ser amigos. Respondamos em oração: amamos Jesus ou o trabalho que fazemos para Ele?

“Lembra-te de onde caíste”: O Espírito Santo hoje precisa nos revelar em que mudamos; onde perdemos o foco e como esfriamos no amor. Façamos uma avaliação da nossa caminhada e lembremos de onde caímos. Se fizermos isso, retornaremos ao desejo ardente do primeiro amor. Diante do que Deus colocou em nosso coração, façamos metas para voltar ao primeiro amor.

 

2º DIA: ESMIRNA (Ap 2,8-11)

Esmirna é uma palavra derivada de “mirra”, a mesma substância oferecida pelos magos ao Menino Jesus. A mirra era utilizada para embalsamar os corpos. Oferecida a Jesus, significava sua morte e sofrimento na cruz. Simboliza os nossos sacrifícios. A cidade de Esmirna era grande exportadora de mirra e por isso recebeu esse nome.

“Não tenhas medo dos sofrimentos que vais passar”: O Senhor quer nos animar diante dos sofrimentos que enfrentamos. Não desistir em meio às tribulações será grande fonte de riqueza espiritual para nós. Sejamos fiéis até a morte. Peçamos hoje ao Espírito Santo o dom da longanimidade, que é a coragem para suportar as perseguições e sofrimentos

 

3º DIA: PÉRGAMO (Ap 2,12-17)

Pérgamo significa “casado”. Era conhecida como uma igreja comprometida com o esposo, no sentido matrimonial mesmo. Mas, a exortação de Jesus é muito dura: Pérgamo se misturou com doutrinas idolátricas. Na linguagem bíblica, “se prostituiu”. Isso acontece conosco quando deixamos nosso Esposo para seguir aos ídolos. Também nós nos prostituímos (ver Os 4,12). Peçamos a graça de ver onde estamos abandonando o Senhor hoje.

Deus quer nos dar um “nome novo”: isso é próprio de quem se casa. Como a esposa que recebe o nome do esposo, não podemos ficar com nossa identidade antiga, com nossos pecados antigos. Quais são os nossos ídolos hoje, que nos roubam de Jesus?

 

 

4º DIA: TIATIRA (Ap 2,18-29)

Jesus se apresenta a essa igreja como aquele que tem os pés de bronze. Essa expressão significa firmeza ao caminhar. É isso que, primeiramente, o Senhor quer nos dar: firmeza na nossa caminhada. Peçamos a Ele em oração essa firmeza aos nossos passos. Para auxiliar, rezemos com Cl 2,7 pedindo a firmeza na fé.

O problema de Tiatira foi que toleravam a presença de Jezabel, uma mulher que disseminava o mal na comunidade. Nós também não podemos tolerar, aceitar a presença do mal entre nós. Se permitimos, isso vai minando nossa vida espiritual. Renunciemos a toda divisão e amargura do coração, que nos fecha a Deus e aos irmãos.

Tiatira significa “sacrifício contínuo”: Jesus exorta para que guardemos até o fim sua obra. Precisamos, continuamente, permanecer vigilantes e fiéis. Peçamos a graça da “tolerância zero” ao pecado.

 

5º DIA: SARDES (Ap 3,1-6)

Era uma grande cidade do império romano. Conhecida por seu grande poderio militar, é comparada a uma pedra preciosa, levando esse adjetivo no próprio nome (sardônica – Ap 21,20). No entanto, entrou em decadência, sendo invadida várias vezes por negligência dos sentinelas. Seus habitantes eram conhecidos como apáticos, sem vida. Nós também temos sido negligentes com a vida espiritual? Como isso tem acontecido?

“Aquele que tem os sete espíritos”: O Senhor quer dar a esta igreja e hoje a nós a plenitude do Seu Espírito. Quando não vivemos na plenitude do Espírito Santo, vivemos uma morte interior. Como a igreja de Sardes, estamos vivos por fora, mas sem vida por dentro. Deixemos de viver de aparências. Peçamos ao Senhor que nos ressuscite da morte espiritual. Rezemos com Ez 37,9-14.

 

6º DIA: FILADÉLFIA (Ap 3,7-13)

Filadélfia era uma igreja pequena, mas tinha a fama de ser muito unida. Seu nome significa literalmente “amor fraterno”. Mesmo diante de sua fraqueza, o amor entre os irmãos era o seu diferencial. A esta igreja Jesus começa dizendo: “Tua força é pequena”. Assim, quis o Senhor exaltá-la por sua pequenez. Nos exorta a renovar nosso amor pela humildade, pois é na fraqueza que muitas vezes se encontra nossa força. Reconheçamos nossa pequenez e entreguemos as rédeas de nossa vida a Jesus. Rezemos com 2Cor 12,9.

“Eu abri à tua frente uma porta”: diante do nosso nada, Deus vem em nosso auxílio com Sua graça. Abre portas e nos dá oportunidades de conversão e crescimento na santidade. Tomemos posse das portas que Deus nos abre para sermos melhores.

 

7º DIA: LAODICEIA (Ap 3,14-22)

Laodiceia significa “povo reinante”. Era um centro industrial de referência. Depois de um terremoto, seus habitantes quiseram reerguê-la sozinhos, sem ajuda do governo. Possivelmente por isso tenham se tornado um povo arrogante, orgulhoso. Além disso, a água que abastecia a cidade era morna, muitas vezes causando náuseas na população. Jesus se utiliza dessa metáfora para censurá-la. Peçamos ao Senhor para nos tirar da mornidão espiritual e do orgulho.

“Compra de mim ouro e também colírio”: comprar ouro de Jesus é deixar que Ele reine absoluto na nossa vida, sendo o centro de tudo. Jesus é o colírio que nos deixa ver com clareza, porque, mesmo diante das tribulações, o Senhor é capaz de nos mostrar a luz.

“Eis que estou à porta e bato”: Jesus está sempre à porta do nosso coração nos buscando todos os dias. Para ouvir o Senhor que chama, precisamos renunciar a nossa insensibilidade, que nos impede de ouví-Lo. Hoje, reconheço que tenho sido insensível à Sua voz?

“Se alguém ouvir minha voz e ABRIR a porta”: Não basta apenas ouvir. Precisamos abrir a porta para Jesus. Que decisão ou atitude concreta podemos fazer hoje para que isso aconteça?

Conteúdo adaptado do Encontro Nacional de Formação 2018.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s